Geral

Radar Móvel da Previdência circula por Brasília revelando os votos à reforma

No último dia 12 de abril, o Radar Móvel da Previdência circulou pelo Congresso Nacional revelando o voto dos deputados contra e à favor da Reforma da Previdência, segundo pesquisa realizada pela Fenafisco em parceria com o Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados (IBPAD). Até o momento, 243 parlamentares foram entrevistados.

O radar trata-se de um painel eletrônico fixado em uma van preta, iniciativa da Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), que circulou também junto a um grupo de 300 servidores fiscais tributários estaduais e do Distrito Federal. O grupo seguiu para um ato no Auditório Nereu Ramos, na Câmara dos Deputados, buscando uma posição prévia dos parlamentares para evitar a aprovação do projeto.

A pesquisa do Radar Móvel da Previdência

Dos 243 parlamentares entrevistados pelo IBPAD, 60% afirmam ser contra a reforma, enquanto 3% são favoráveis, 10% estão indecisos e 28% não quiseram se manifestar. O receio é grande, segundo a pesquisa, somente 45 parlamentares forneceram por escrito autorização para divulgação do voto e o uso de sua imagem.

A Proposta de Emenda à Constituição PEC 287/2016 altera oito artigos da Carta Magna que afeta diretamente servidores públicos federais, estaduais e municipais, trabalhadores da iniciativa privada, que têm direitos assegurados pelo Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Trabalhadores rurais, professores e policiais civis, que têm direito a aposentadorias especiais também são afetados, ficando de fora, neste momento, trabalhadores das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares.

O objetivo é tornar as regras dos setores público e privado similares, a começar pela idade mínima e o tempo de contribuição para aposentadoria que são os mesmos.

Ontem (18), o relator da reforma, deputado Arthur Maia (PPS-BA), apresentou as alterações que fez no texto original da PEC. A mudança da idade mínima para aposentadoria das mulheres, de 65 para 62 anos, é uma das principais alterações. O tempo mínimo de contribuição, porém, foi mantido em 25 anos, tanto para homens quanto para mulheres.

 

Em busca de barrar a PEC, o Radar Móvel da Previdência será atualizado diariamente. O ato tem o apoio de sindicatos e entidades de todo o país, para que a resistência leve à proteção da Seguridade Social, direitos adquiridos do trabalhador brasileiro e benefícios que não podem ser sacrificados por conta da má administração e reflexos da corrupção nos cofres públicos.

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Close