Blog do Presidente

Quero a correção da Tabela do Imposto de Renda

Enquanto faz campanha pela volta da CPMF, o governo mais uma vez silencia sobre a correção da Tabela do Imposto de Renda. Não podemos continuar aceitando que a sociedade fique sem um instrumento que a proteja de ser saqueada.

A crise atual ressaltou ainda mais duas características deste governo: a corrupção e a ineficiência. O fraco desempenho das contas públicas estamparam a indisposição de promover cortes nos gastos e afloraram a solução simplista para a qual sempre se recorre: aumento da carga tributária.

A retórica contra os efeitos e resquícios da ditadura se esvazia quando constatamos que mecanismos próprios do período de exceção são caros aos governantes atuais. A ideia de que o governo pode tudo, sem consultar e prestar contas à população, privilegiando a sua manutenção, expõe a ferida de que a redemocratização produziu uma “pseudo cidadania”.

Temos que reagir. É necessário que haja uma mobilização contra o ardil tributário, para evitar que a simples omissão acarrete aumento de impostos. Não podemos tolerar mais que a renda das famílias seja sugada para financiar projetos pessoais e de poder, que o fruto do nosso trabalho seja desviado e desperdiçado por maus governantes.

Ante uma inflação brutal, não promover a atualização dos valores da tabela do imposto de renda (a defasagem acumulada nos últimos 20 anos chegou a 72%) é um bom exemplo de como o interesse governamental está distante dos anseios e dos direitos dos cidadãos.

Não ao aumento da carga tributária! Sim à correção da tabela do imposto de renda em 72% e criação de um mecanismo automático de reajuste pelo índice de inflação. É legal! É justo! É imprescindível!

Estamos encaminhando à nossa federação, FENAFIM – Federação Nacional dos Auditores e Fiscais de Tributos Municipais, um pedido para que se engaje nessa luta, em defesa do direito e do patrimônio da sociedade e contra a ditadura tributária.

Tags
Ver mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Close